Resenha – Batom Ultra Color Avon – Linha Matte

Quem me conhece sabe que eu detesto quase tudo que tenha brilho. Roupas, sapatos, maquiagem… Ainda que sejam de cores marcantes nada pode brilhar!

Imagina o problema que eu tenho com batom!

É um pesadelo encontrar um batom efeito mate bonito e que não resseque os lábios!

Já testei vários e nenhum resultado muito animador. A MAC era marca que menos tinha me decepcionado até o momento, mas até pouco tempo atrás era praticamente impossível encontrar a marca no Brasil.

Em sua última campanha a AVON lançou uma linha complementar à já conhecida linha Ultra Color, que prometia o tão desejado efeito mate.

Decidi testar!

Comprei quatro cores que achei lindas no catálogo:

NUDE MATTE

foto 1

VIOLETA MATTE

foto 2

AMORA MATTE

foto 3

CEREJA MATTE

foto 4

foto 1 (1)

foto 2 (2)

foto 4 (1)

A embalagem é linda e a apresentação incrível, mas vamos aos que interessa!

Hoje fiz uma maquiagem bem com cara de inverno e usei a cor AMORA MATTE que fica divino!

foto 1 (2)

Fiz a make as 10 da manhã! E as duas da tarde estava assim

foto 2 (3)

Em nenhum momento senti os meus lábios ressecados ou o batom acumulando nos vincos. O efeito é realmente mate.

Confesso que a qualidade me surpreendeu devido ao preço do produto. Custa menos de 20 reais!

Quem testar e quiser compartilhar aqui no blog! :*

Aqui segue em tutorial de maquiagem feito pela diva Julia Petit e inspirado na cantora Lorde. Tem a cara do inverno e dessas cores mate!

Anúncios

Resenha – Rosa Impossível Exotic Colors

Há exatamente um mês eu decidi brincar de tingir meu cabelo em cores não usuais. Escolhi o rosa pra começar!

Em Brasília, é impossível encontrar cores fantasia mundialmente reconhecidas, então decidi investir em uma marca nacional chamada Exotic Colors.

A marca possui quatro tons de rosa:

Rosa Super Blond
rosa super blond

Rosa Sakura
rosa sakura

Rosa Impossível
rosa impossível

E o Penélope Super Blond.
penelope super blond

Escolhi o Rosa Impossível que além de ter uma cor bacana ainda brilha na luz negra! 😛

luz negra

Apesar da baixa qualidade de fixação da tinta (ela sujou algumas roupas) a cobertura é excelente!

Ela vai desbotando aos poucos pra um rosa choque. Fica bem legal!

semana 1

Depois de quatro semanas ele tá bem claro e a parte onde vai o shampoo fica bem clarinha puxando pro branco!

semana 4

Apesar de durar pouco eu amei a cor! Mesmo não achando que era de retocar a raiz ao fazer minha hidratação semanal (com creme branco!) misturei um pouquinho da tinta no creme e apliquei normalmente pra dar um up na cor que estava desbotando! Acho que dura mais um mês! 😛

IMG_3762

Pra quem tem dificuldade de encontrar tintas importadas a Exotic é uma excelente opção!

Brincando de arco-íris! :p

Sempre quis ter o cabelo colorido. E não tô falando de mudar do preto pro vermelho não! Sempre quis o cabelo cor de rosa ou azul ou roxo…. São tantas cores que fica difícil decidir então a gente decide misturar! 😛

Sempre quis ter o cabelo da diva Marimoon! 

ImageImageImageImage

Como quase todas as pessoas do mundo, eu não podia por causa do trabalho! Imagina só chegar no escritório com o cabelo verde pastel? Demissão na hora!

 

Image

Mas enfim tenho um trabalho onde o meu chefe é o primeiro a incentivar essas pequenas loucuras! O cara que não liga pra como você se veste ou de que cor está o seu cabelo. O importante pra ele é a sua produtividade.

Não pensei duas vezes!

Comprei todos os produtos que precisava e passei o último final de semana colorindo as madeixas!

Aqui segue o passo a passo e a lista de produtos que utilizei!

A primeira coisa a se fazer é preparar o cabelo para o processo de descoloração. É um processo bem hardcore e pode ter resultados desastrosos se o seu cabelo não estiver bem cuidado!

Então o primeiro passo e fazer uma hidratação semanal pesada durante pelo menos uns dois meses. O tempo depende muito do estado do seu cabelo. Se você usa prancha e secador regularmente o ideal é que seja por pelo menos uns três meses. Descolorir o cabelo pós progressiva? Nem pensar! Pode contar pelo menos um ano de tratamento antes de brincar de descolorir! Descolorante e químicas diversas não combinam!

Eu faço a minha hidratação em casa. Tenho um sério problema de confiança com cabeleireiros, por isso compro os produtos e preparo tudo!

Creme para hidratação:

– Máscara de tratamento compatível com o seu tipo de cabelo (seco, oleoso, misto) e para o tratamento indicado ao seu tipo de dano. Essas máscaras vem em potes de 500g ou 01kg, dentre as marcas comuns temos Bioextratus, Barro Minas e L’óreal, mas se você puder gastar um pouco mais recomendo algumas importadas à base de Argan. Nada a base de chocolate, poucos cabelos realmente se dão bem com esse tipo de máscara.

– Sabe aquelas ampolas com dose única de vitaminas para cabelo? Eu costumo misturar no creme de tratamento. Recomendo L’óreal, Alphaparf, dentre outras.

– Creme a base de manteiga de karité.

– Creme/óleo a base de Argan.

– Bepantol Derma Líquido.

Num recipiente pequeno separe uma quantidade da máscara necessária para cobrir o seu cabelo sem deixar pontos secos. Misture uma ampola de vitamina, uma colher do creme a base de karité, uma colher do creme a base de Argan e uma colher de sopa rasa de Bepantol Derma. Após lavar os fios e antes de aplicar o condicionador, aplique a mistura no cabelo de deixe agir por no mínimo uma hora coberto com uma touca. Se preferir utilizar uma touca térmica o tempo será reduzido para meia hora. Enxaguar totalmente os produtos e aplicar o condicionador.

Não se esquecer de utilizar um leave-in para pentear, preferencialmente com protetor térmico para os amantes da chapinha.

Se você é do tipo que lava os cabelos todos os dias, utilize uma vez, preferencialmente ao meio da semana aqueles cremes de tratamento instantâneo de 3 ou 5 minutos.

Esse procedimento deve ser repetido semanalmente até que seus fios estejam macios, resistentes à quebra e sem pontas ressecadas.

 

Descolorantes e tintura:

Comprar descolorante em farmácia, nem pensar! Se você quer descolorir o cabelo vai ter que gastar bastante para não correr o risco de ressecar, quebrar ou emborrachar o seu cabelo.

Descolorante se compra em casa de venda de cosméticos e não vai sair por menos de R$ 100,00 se você quiser comprar pra descolorir o cabelo todo. O bom é que vai dar pra usar várias vezes, então vale a pena!

A Amend tem uma excelente linha de descolorantes que vêm em latas de 300g que custam em torno de R$ 60,00. Eu particularmente utilizo a linha Easily Blonde da Itely que custa em torno  de R$ 90,00.

ImageImageImageImage

O revelador (a maior parte das pessoas chama de água oxigenada) deve ser da mesma marca ou do mesmo padrão de qualidade do descolorante e não pode ter menos de 40 volumes. Economicamente falando, é vantajoso comprar aquelas garrafas de 500ml ou 1000ml pois os potinhos de 50ml ou 90ml são bem mais caros.

Além de descolorante e revelador você vai precisar de um par de luvas e um pincel para a aplicação. Como você vai utilizar mais de uma vez, eu recomendo comprar aquelas luvas pretas para salão que além de reutilizáveis são mais resistentes, então não há risco de que elas rasguem e você fique toda cor de rosa. A tinta leva uns dias pra sair da pele! Ao invés de pincel você pode optar por aplicar com ajuda de um pente fino, mas dá muito mais trabalho!

Pra descolorir eu recomendo que o seu cabelo não tenha sido lavado por pelo menos uns dois dias. Nenhum problema se você quiser lavar no mesmo dia da aplicação, mas ele vai estar mais sensível e pode não reagir bem ao processo.

A maior parte dos descolorantes vem com um medidor, se não for o seu caso a mistura revelador + descolorante deve ficar homogênea. Não muito líquida nem muito pastosa. O ponto é parecido com o da mistura para bolo. A mistura deve ser feita num recipiente não metálico!

Ao fazer o teste de mecha, o que vai determinar até que ponto seu cabelo aguenta o processo de descoloração, não deve ser feito com fios da nuca. Pegue uma mecha de cima, não muito grande e faça o teste. Se tudo correr bem com o teste de mecha, separe mechas maiores e aplique o descolorante em todo o cabelo e não se esqueça da raiz.

Descolorante arde. Muito!

O tempo de espera é o mesmo tempo do seu teste de mecha. Não extrapole esse tempo para não correr o risco de quebrar ou emborrachar o seu cabelo. Quanto mais branco melhor pra fixação da cor, mas é melhor ter uma cor mais escura que o desejado que o seu cabelo destruído por teimosia.

Eu fiquei mais ou menos uma hora e meia com o produto nos fios e ficou bem branco, mas o meu cabelo é muito resistente. Se o seu teste de mechas diz que seu cabelo só aguenta meia hora de descoloração não insista.

Em seguida enxágue o produto e lave o bem o cabelo com xampu com agente hidratante e seque o cabelo. Não se esqueça: secador longe dos fios!

Coloque a tinta num recipiente não metálico. Não se esqueça de lavar bem as luvas, o recipiente e o pincel para não ficar nenhum resto de descolorante.

Não é necessário misturar revelador, nas tintas fantasia. Leia o tempo de pausa no rótulo do produto e inicie a aplicação. Quanto mais tempo ficar em pausa mais escuro vai ficar! Se quiser um tom pastel misture um pouquinho de creme de hidratação (tem que ser branco!) ou deixe um tempo de pausa menor.

Muito cuidado na aplicação! Afinal você não vai querer sair na rua com testa, pescoço e braços coloridos. A tinta gruda na pele e leva pelo menos uns dois dias pra sair!

No blog da Marimoon tem uma lista de marcas e cores de tintas fantasia disponíveis no mercado. Pra quem mora em Brasília uma opção é o Porão 666 no centro de Taguatinga eles tem MUITAS cores! 😛 

http://www.marimoon.com.br/cabelocolorido/

Após o tempo de pausa enxaguar a tinta até a água ficar bem clarinha. Eu lavei com xampu e condicionador pra tirar todo o excesso de tinta.

Aplicar protetor térmico e secar. Nas primeiras lavagens eu não recomendo deixar o cabelo secar naturalmente porque ainda vai sair um excesso de tinta e provavelmente manchar suas roupas e pele. Secador sempre!

Esse foi o resultado da minha coloração!

Image

Cuidados pós tintura:

Como seu cabelo sofreu um duro processo de descoloração a hidratação constante após o procedimento é essencial. Aquela hidratação semanal com banho de creme continua, mas pra não perder muito da cor misture um pouquinho da sua tinta naquele creme de 03 minutos e utiliza toda vez que lavar o cabelo.

Pra quem curte o desbotado não precisa misturar a tinta no creme, mas tem que utilizar sempre que lavar.

Aquelas ampolas de efeito imediato são ótimas também.

Sempre protetor térmico de boa qualidade e pra finalizar o penteado um óleo hidratante, preferencialmente a base de Argan.

Se você lavar o cabelo todos os dias ele vai desbotar muito, então diminua as lavagens e utilize xampu e condicionador com agente hidratante. Você  também pode misturar um pouquinho de Bepantol no seu xampu pra ajudar na hidratação.

Como todo mundo sabe que o seu cabelo natural não é colorido, eu recomendo retocar a cada dois meses pra que o cabelo se recupere da descoloração. E sempre que for retocar, usar queratina líquida ou em gel num pedaço próximo a raiz onde já foi descolorido e na raiz onde você ainda vai descolorir.

Aplique a queratina líquida ou em gel e seque com o produto. Só depois inicie a descoloração da raiz. Assim você evita o risco  de partir o seu cabelo.

O blog da Marimoon tem muito mais dicas! Segue também um tutorial que ela gravou em 2012 e que vale super a pena conferir antes de colorir os cabelos!

 

 

Quem tiver dúvidas pode me perguntar nos comentários ou no twitter @NinaHoneyNH .

 

 

 

A vida fora do Facebook…

Como todas as pessoas da minha idade e de muitas que não têm a minha idade também eu possuía contas em um número incontável de redes sociais. Facebook, Twitter, Istagram…

Minha pasta de rede sociais no smartphone era enorme. Eu me mantinha conectada durante vinte e quatro horas por dia. Dormia com o meu celular embaixo do travesseiro e checava os aplicativos de cinco em cinco minutos, muitas vezes durante a madrugada.

A primeira coisa ao acordar era checar recados e notificações.

addicted

A minha produtividade no trabalho era muito pequena pois eu gastava a maior parte do tempo atualizando o feed em busca de algo novo ou apenas jogando conversa fora com qualquer um dos meus contatos online (muitas vezes até com aqueles que não estavam online!). Levava semanas para finalizar um processo que eu sabia que podia ser feito numa tarde.

Meus livros não lidos estavam cobertos de poeira e eu não encontrava tempo para outras coisas.

vicio-internet

Então, depois de uma série de decepções algumas amigas decidiram sair das redes sociais para relaxar um pouco e das minhas próprias decepções, fui reduzindo meu acesso. Desinstalei os apps do telefone e logava poucas vezes ao dia. Isso quando não passava mais de um dia sem dar uma “checadinha” nas novidades.

Percebi que essa “conexão” com o mundo não fazia nenhuma falta. Na verdade, me sentia até melhor sem essa ansiedade constante de esperar por essa interação virtual.

Terminei livros não lidos e comecei outros. Descobri que amigos sentados a uma mesa de bar é uma experiência muito mais gratificante do que conversas sem finalidade na rede online. E que é muito melhor quando não estamos presentes à mesa, mas ausentes por estarmos todos mexendo constantemente no tablet ou smartphone.

smartphone

Decidi então desativar permanentemente minhas contas nas redes sociais.

Posso garantir que tudo melhorou, inclusive a minha disposição física.

Tenho tempo para tantas coisas que às vezes até me impressiono. Tenho menos amigos na vida real do que online, mas esses são mais verdadeiros e temos tempos incríveis juntos. Tive muito menos crises de gastrite por reduzir a ansiedade dessa vida online totalmente vazia e menos problemas causados por essas intrigas de vidas conectadas.

poemas_melhores_amigas
Não foi fácil me desligar da vida online, mas os resultados foram ótimos.

Há uma vida incrível lá fora mas só se você conseguir se desligar da vida vazia que você criou no seu notebook.

Meu nome é Nina e estou há um mês sem Facebook, Skype e seus semelhantes.

PS: nem tudo vale ir para o Instagram! 😉

Life without WiFi

Me identifiquei mais do que qualquer coisa com esse texto. Penso numa lista infinda que amigos que deveriam ler e refletir sobre…

write meg!

Leaves
I’d rather be out here instead.


In the weeks and months leading up to the Big Move-In with Spencer, we talked endlessly about two facets of life in our new place: the fact that he does not have cable (the horror) and, worse, the stunning truth that he also does not have Internet.

I’ll repeat that again, lest the crushing weight of this truth didn’t settle heavily onto your chest the first time: Spencer does not have Internet. We do not have Internet at home.

Look, we all know I’m addicted to technology. From Instagram and Facebook to Flickr and Etsy, I am online all the time. Like most twenty-somethings who remember life without social media, however, I often think about the toll it takes on my everyday relationships . . . you know, the ones with people waiting for me to stop snapping pictures of my wine slushie and just…

View original post mais 553 palavras

I am online all the time…

Nunca dei muita atenção a isso. Mas como quase todas as pessoas que conheço, andava conectada vinte e quatro horas por dia. Facebook, Twitter, Instagram…

Parei para refletir que não tenho o número de todas as pessoas do meu Facebook e, provavelmente tenho usado essa desculpa pra não me desconectar. Mas a verdade é que esse mundo tão conectado nos deixa absurdamente sozinhos e, tentamos desesperadamente preencher o vazio com milhares de postagens e chats vazios nas redes sociais.

Aos poucos, e por espontânea vontade tenho deixado as redes sociais.

Tenho dado uma checada rápida no Facebook (rede social mor, que tem sido o vício de muitos dos meus amigos mais queridos), mas não tenho me permitido ficar online no trabalho oito horas/dia.
Desinstalei o app do meu Iphone deixando somente o chat instalado(mas silenciado) para o caso de alguém que naõ tenha o meu telefone ter algo importante a dizer.

Uso o Instagram para postar coisas simples, como as belas flores do jardim do prédio onde trabalho ou divulgar um show ou outro dos meus amigos músicos. Nada de selfpictures no espelho. Pra falar a verdade tenho até um certo horror a elas.

Para manter contato com a maioria das pessoas eu conservo o Whatsapp instalado,mas deixei de perturbar meus contatos com quinze mensagens por dia.

addicted

Confesso a dificuldade que tive no começo. Parecia que havia um buraco sem tamanho na minha vida. Mas hoje posso dizer que voltei aos meus livros, cds, dvds, conversas descontraídas com minha família e com meus amigos.

Até os planos de viajar para a Chapada voltaram à mesa.

Talvez eu devesse ser diferente… mas é só um talvez.

Eu amo intensamente. Me entrego totalmente àqueles que gostam da minha companhia. Já ouvi dizer que sou carente e me apego rápido demais às pessoas. Talvez seja isso mesmo.

O fato é que eu me preocupo com quem tira cinco minutos do seu dia pra perguntar como eu estou, ou para chamar pra dar uma volta em algum lugar por aí.

Ninguém precisa pagar minhas bebidas, ou me tratar como deusa. Tô bem com minha vida financeira (mesmo não sendo das melhores) e tenho espelho em casa. Não me acho mais importante que ninguém.

Se eu me apego rápido? Não tenho certeza, até porque eu aprendi a me curar com a mesma facilidade (talvez não com a mesma rapidez) com que sou ferida.

Mas eu certamente trato as pessoas com o mesmo carinho e importância que eu gostaria que elas me tratassem. Eu não sabia o nome disso, e aí, numa conversa descontraída com umas garotas incríveis eu aprendi que é empatia. E descobri que não é só em mim que uma mensagem visualizada e não respondida dói. Imagina aquela ligação não atendida ou aquela surpresa que vc decide fazer pra pessoa e ela mal te diz um “Oi.” e vira as costas.

Com tudo o que já tive de decepções ao longo dos meus 26 anos, eu deveria estar naquela de tratar as pessoas com frieza e fazer com todas elas sofressem. Aquela de não confie em ninguém e não se entregue. Mas essa não sou eu. E nada me dói mais que destratar alguém, mesmo que esse alguém mereça o pior dos castigos.

Eu gosto de sorrisos sinceros, de conversas descontraídas e, mais que isso adoro quando alguém se lembra de perguntar como eu estou e se importa em ao menos tentar me confortar em tempos difíceis.

É, eu era uma criança luz. Cheia de bom humor e uma certa ingenuidade quanto às coisas que as pessoas são capazes. Eu quase perdi isso. E por um momento olhei no espelho e não me reconheci.

A solução que encontrei foi voltar atrás. Desenterrar o meu coração e esperar o melhor das pessoas. Eu voltei à amar cada um do jeito que é. Lógico que não esqueci o que algumas delas me fizeram e nem voltei a rastejar por aquelas que nunca me deram a mínima atenção. Isso não é amor, isso é dependência e não há como um bom relacionamento resultar disso.

Quanto às garotas incríveis que falei, elas são diferentes. Lindas e formam um grupo que parece não fazer muito sentido. Tropeçamos umas nas outras por aí, e como eu decidimos nos dar uma chance.

Não somos as melhores amigas, acho que não compartilhamos grandes segredos. Mas nos divertimos com coisas muito simples e, mesmo à distância temos nos preocupado quando alguém não está bem.

Não sei onde estaremos daqui a um mês, muito menos se seremos amigas daqui a cinco anos. Nem sei se posso dizer que somos amigas hoje, mas sei que o que temos é muito mais sincero do que muita coisa que tive até aqui. Talvez seja essa minha mania besta de ter fé nas pessoas, mas fazer o que? Algumas pessoas são assim e não mudam apesar do que os “sábios da vida” dizem.

heart