Life without WiFi

Me identifiquei mais do que qualquer coisa com esse texto. Penso numa lista infinda que amigos que deveriam ler e refletir sobre…

write meg!

Leaves
I’d rather be out here instead.


In the weeks and months leading up to the Big Move-In with Spencer, we talked endlessly about two facets of life in our new place: the fact that he does not have cable (the horror) and, worse, the stunning truth that he also does not have Internet.

I’ll repeat that again, lest the crushing weight of this truth didn’t settle heavily onto your chest the first time: Spencer does not have Internet. We do not have Internet at home.

Look, we all know I’m addicted to technology. From Instagram and Facebook to Flickr and Etsy, I am online all the time. Like most twenty-somethings who remember life without social media, however, I often think about the toll it takes on my everyday relationships . . . you know, the ones with people waiting for me to stop snapping pictures of my wine slushie and just…

View original post mais 553 palavras

Anúncios

I am online all the time…

Nunca dei muita atenção a isso. Mas como quase todas as pessoas que conheço, andava conectada vinte e quatro horas por dia. Facebook, Twitter, Instagram…

Parei para refletir que não tenho o número de todas as pessoas do meu Facebook e, provavelmente tenho usado essa desculpa pra não me desconectar. Mas a verdade é que esse mundo tão conectado nos deixa absurdamente sozinhos e, tentamos desesperadamente preencher o vazio com milhares de postagens e chats vazios nas redes sociais.

Aos poucos, e por espontânea vontade tenho deixado as redes sociais.

Tenho dado uma checada rápida no Facebook (rede social mor, que tem sido o vício de muitos dos meus amigos mais queridos), mas não tenho me permitido ficar online no trabalho oito horas/dia.
Desinstalei o app do meu Iphone deixando somente o chat instalado(mas silenciado) para o caso de alguém que naõ tenha o meu telefone ter algo importante a dizer.

Uso o Instagram para postar coisas simples, como as belas flores do jardim do prédio onde trabalho ou divulgar um show ou outro dos meus amigos músicos. Nada de selfpictures no espelho. Pra falar a verdade tenho até um certo horror a elas.

Para manter contato com a maioria das pessoas eu conservo o Whatsapp instalado,mas deixei de perturbar meus contatos com quinze mensagens por dia.

addicted

Confesso a dificuldade que tive no começo. Parecia que havia um buraco sem tamanho na minha vida. Mas hoje posso dizer que voltei aos meus livros, cds, dvds, conversas descontraídas com minha família e com meus amigos.

Até os planos de viajar para a Chapada voltaram à mesa.

Talvez eu devesse ser diferente… mas é só um talvez.

Eu amo intensamente. Me entrego totalmente àqueles que gostam da minha companhia. Já ouvi dizer que sou carente e me apego rápido demais às pessoas. Talvez seja isso mesmo.

O fato é que eu me preocupo com quem tira cinco minutos do seu dia pra perguntar como eu estou, ou para chamar pra dar uma volta em algum lugar por aí.

Ninguém precisa pagar minhas bebidas, ou me tratar como deusa. Tô bem com minha vida financeira (mesmo não sendo das melhores) e tenho espelho em casa. Não me acho mais importante que ninguém.

Se eu me apego rápido? Não tenho certeza, até porque eu aprendi a me curar com a mesma facilidade (talvez não com a mesma rapidez) com que sou ferida.

Mas eu certamente trato as pessoas com o mesmo carinho e importância que eu gostaria que elas me tratassem. Eu não sabia o nome disso, e aí, numa conversa descontraída com umas garotas incríveis eu aprendi que é empatia. E descobri que não é só em mim que uma mensagem visualizada e não respondida dói. Imagina aquela ligação não atendida ou aquela surpresa que vc decide fazer pra pessoa e ela mal te diz um “Oi.” e vira as costas.

Com tudo o que já tive de decepções ao longo dos meus 26 anos, eu deveria estar naquela de tratar as pessoas com frieza e fazer com todas elas sofressem. Aquela de não confie em ninguém e não se entregue. Mas essa não sou eu. E nada me dói mais que destratar alguém, mesmo que esse alguém mereça o pior dos castigos.

Eu gosto de sorrisos sinceros, de conversas descontraídas e, mais que isso adoro quando alguém se lembra de perguntar como eu estou e se importa em ao menos tentar me confortar em tempos difíceis.

É, eu era uma criança luz. Cheia de bom humor e uma certa ingenuidade quanto às coisas que as pessoas são capazes. Eu quase perdi isso. E por um momento olhei no espelho e não me reconheci.

A solução que encontrei foi voltar atrás. Desenterrar o meu coração e esperar o melhor das pessoas. Eu voltei à amar cada um do jeito que é. Lógico que não esqueci o que algumas delas me fizeram e nem voltei a rastejar por aquelas que nunca me deram a mínima atenção. Isso não é amor, isso é dependência e não há como um bom relacionamento resultar disso.

Quanto às garotas incríveis que falei, elas são diferentes. Lindas e formam um grupo que parece não fazer muito sentido. Tropeçamos umas nas outras por aí, e como eu decidimos nos dar uma chance.

Não somos as melhores amigas, acho que não compartilhamos grandes segredos. Mas nos divertimos com coisas muito simples e, mesmo à distância temos nos preocupado quando alguém não está bem.

Não sei onde estaremos daqui a um mês, muito menos se seremos amigas daqui a cinco anos. Nem sei se posso dizer que somos amigas hoje, mas sei que o que temos é muito mais sincero do que muita coisa que tive até aqui. Talvez seja essa minha mania besta de ter fé nas pessoas, mas fazer o que? Algumas pessoas são assim e não mudam apesar do que os “sábios da vida” dizem.

heart

Mulher de cabelo curto…

Tenho um milhão de amigos que acham que eu deveria deixar o meu cabelo crescer. Há quase dez anos, quando decidi cortar a primeira vez venho ouvindo repetidamente que tenho que parar.

Mas sou daquele tipo que acha que toda pessoa tem que se olhar no espelho e se sentir linda. E nada mais cheio de charme na minha opinião que um belo cabelo curto!

vanessa

 

Elas são diferentes! Têm o algo mais que todo mundo procura ter! Elas simplesmente se destacam no meio da multidão!

emma

 

Quem se atreveria a dizer que elas não estão lindas?

2011 Summer TCA Tour - Day 12

 

Às vezes até penso em deixar as madeixas crescerem mas bem no meio do caminho me bate aquela vontade de me sentir linda e única! Aquela sensação incrível de ver uma foto com várias mulheres e se destacar no meio delas!

jolie

 

Os homens que me perdoem, mas eu prefiro sim uma bela mulher de cabelo curto!

rihanna

 

Aqui segue uma publicação feita no blog Papo de Homem sobre mulheres de cabelo curto. Eu assino embaixo de cada linha! ^_^

 

http://papodehomem.com.br/mulher-de-cabelo-curto/